Música e estilo (IV) - Björk

0 comentários

[Para ouvir enquanto lê >> Björk – All Is Full Of Love]

Já falei da Björk em alguns posts aqui do TRendências, como no texto Tributo à Alexander McQueen e no terceiro artigo da série Fotografia e Moda. E é para tanto. Além de ter sido uma grande amiga de McQueen, Björk já apareceu em algumas fotografias de moda e sempre anda por aí com looks diferentes e, por vezes, (anti)fashionistas.

Björk Gudmundsdottir – sim, o sobrenome é quase impronunciável para nós – nasceu no dia 21 de novembro de 1965 na cidade de Reikjavik, capital da Islândia.

Esse país insular, cuja cultura pouco conhecemos, foi o berço de uma voz de sonoridade um tanto quanto original, interessante e bonita. Björk, e seus olhinhos puxados, vieram ao mundo em uma comunidade de artistas. Seus pais sempre a encorajaram. Já aos 5 anos, Björk começou a ter aulas de canto, piano e flauta.

Em 1977, aos 12 anos, Björk canta, no rádio, em seu país, a música “I Love to Love” e isso lhe deu a oportunidade de gravar um primeiro disco. Com o álbum, Björk ganhou um disco de platina, mas, por achar-se ainda muito nova, preferiu não gravar um segundo disco e usar o dinheiro que ganhou para comprar um piano.

Björk participou de várias bandas antes de assumir uma carreira solo. Em sua adolescência punk islandesa, andava por aí com os cabelos vermelhos e as sobrancelhas raspadas e formou uma banda só de meninas chamada Spit and Snot, na qual tocava bateria.

Cansou-se rápido e resolveu tocar em uma banda de pós-punk, Exodus, que tinha, também, influências de jazz. Depois da Exodus, Björk fez parte da JAM 80 com a qual fez uma turnê.

Aos 15 anos, Björk se formou na escola de música Barnamúsíkskóli Reykjavíkur – alguém se habilita a ler em voz alta? Nessa época, fez parte de outra banda, a Cork the Bitch´s Ass – punk até o osso.

Quando já contava 17 anos, Björk participou de um projeto de música eletrônica chamado KUKL. A sonoridade desse projeto já era mais parecida com o que a islandesa viria a fazer pouco tempo depois.

Em 1986 – já com um filho, o segundo filho viria só em 2002 -, Björk se separa amigavelmente de seu marido e forma o Sugarcubes. A sonoridade diferente, agridoce e as performances adoráveis e estranhas de Björk logo chamaram a atenção de um selo independente inglês que ajudou a banda a lançar o primeiro single, Birthday, em 1987. A música atravessou os oceanos e fez sucesso em outras paragens. Apesar do relativo êxito, a banda se desfez em 1992 e Björk seguiu em carreira solo.

Desde então, Björk esbanja seu experimentalismo. Lançou sete álbuns de estúdio: Björk (1977), Debut (1993), Post (1995), Homogenic (1997), Vespertine (2000), Medúlla (2004), Volta (2007).

Além de cantora e compositora, Björk já lançou duas trilhas sonoras, trabalhou como atriz (vide Dançando no Escuro, de Lars von Trier), e atua como produtora musical. Alguns episódios controversos também circundam a cantora.

Em 1996, cansada do assédio dos fotógrafos e repórteres, Björk teria se exaltado e agredido uma jornalista. Mais tarde, nesse mesmo ano, um da cantora, Ricardo López, teria enviado uma carta-bomba para a casa de Björk. A carta foi interceptada antes e o cometeu suicídio. Em 2008, Björk atacou um jornalista mais uma vez.

Björk está sempre comprometida com ações políticas. A última ocorreu em 2008 quando a cantora dedicou a canção “Declare Independence” para o Tibete. Durante a música, Björk gritava “Tibete! Tibete!”, detalhe: o concerto era em Xangai. Como retaliação, a China não permitiu que Björk voltasse a se apresentar no país.

Björk é uma das pioneiras da originalidade em tapetes vermelhos. Embora já tenha sido motivo de chacota por seu vestuário – como quando apareceu com um vestido de cisne desenhado por Marjan Pejosk -, Björk sempre brinda nossos olhos com um estilo instigante.

Fashionistas têm dificuldade em definir seu estilo em poucas palavras. Não serei eu a fazê-lo. Mas acredito que experimentalismo é uma boa palavra para falar de Björk. Em todos os sentidos.

Fontes | Björk (site oficial), Björk Brasil, Criativa, G1, Modismo, Wikipedia – Björk.

Fotos | Absinthrill, Alleniado, Björk Brasil, Foto Clube, Interview Magazine, Morrison Hotel, Wikizic.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Quer saber mais?

Artigos

Artigos relacionados que vão te interessar

Ver mais

+ Deixe um comentário

Comentar

Para deixar um comentário é necessário se identificar: ENTRA ou conecte-se com Facebook Connect

Publicidade

WSL Weblogs SL